Publicado por: eticademonstrada | 19 de janeiro de 2012

Três e dez

Três e dez
(I)

Fitei, contemplei, gostei do que vi.
Ave! A vi, sei que sorri. Sorriu?
Para mim? Eu, para ti!
Parati, sedento ingeri,
bem mais e melhor, teu gosto sorvi,
toquei seu corpo, com as mãos a li.
Ali, aqui, acolá… em todo lugar,
estás…
(…)
não sai de mim, nem tento tirar!

(II)
Me aproximei, seu cheiro senti.
Odor, ó dor! Não achegue-a a si:
em Si, em Dó. Maior em Lá… me perdi –
banho de luz, clave de Sol em mim, em Mi,
nas letras de seu nome, Girassol.
Tem Dó (se compadeça de mim).
Em Fá, em Si, em Sol. Lá… nunca em Ré
estás…
(…)
não sai de mim, nem tento tirar!

(III)
Tirar… atirar… extrair da caixa… dados arremessar
ao acaso… no ocaso… Em todo caso
bem me faz. Há mais?
imagino, e deliro. Há tino?
Arrancar suas vestes… ao seu corpo lançar-me
Fora de mim, dentro de ti: senti, li, sorvi, vi, sorri.
Porém, me encontrei, e não me perdi,
estás…
(…)
não sai de mim, nem tento tirar!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: